sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

O Argentino mais desejado do Brasil!

Walter Dámian Montillo, 27 anos, natural de Buenos Aires, Argentina.

Mais conhecido apenas como Montillo, esse meia armador argentino surpreendeu o futebol brasileiro em 2010, ao fazer um excelente campeonato Brasileiro e levar a Bola de Prata para casa, sendo que a Bola de Ouro foi para, pasmem, outro argentino, Darío Conca! Mas o Conca é história para outro dia...

Montillo chegou ao Brasil após duas temporadas e meia pelo Universidad de Chile, onde não brilhou, mas se destacou o suficiente para chamar a atenção do mercado brasileiro.
Após a Libertadores de 2010, o Cruzeiro se moveu rapidamente e assinou o meia pela bagatela de U$ 3,5 milhões, e já chegou assumindo a responsabilidade da camisa 10. Com razão.

Essa já foi usada por Tostão, Giovanni, Alex, Wagner...
O argentino estreou no Cruzeiro contra o São Paulo, em agosto de 2010, e logo de cara fez uma assistência, deixando claro o que a torcida mineira podia esperar dele. Em seu 3º jogo pelo clube marcou seu primeiro gol, aos 3 minutos de jogo, contra o Corinthians, selando o placar final do jogo.
Desde então, vem acumulando números expressivos, e não deixou de ser citado como um dos melhores meias em atividade no Brasil. E a torcida azul celeste não parou de sorrir com essa contratação.

Foram, até hoje, 75 jogos pelo Cruzeiro, 28 gols marcados e 25 assistências.
Outros dados notáveis: 56% dos chutes que o meia deu como jogador da Raposa acertaram o gol, e se somar os chutes dados no Cruzeiro com os dados como jogador do Universidad de Chile, esse número sobe para impressionantes 68%! A cada 3 chutes dados, 2 assustam o goleiro ou balançam as redes!
O argentino também levou apenas 13 amarelos, e sua única expulsão da carreira foi na Final do Campeonato Mineiro de 2011, contra o maior rival, o Atlético MG, onde os nervos estão sempre a flor da pele.

Esses números mostram um pouco da importância de Montillo para o Cruzeiro, e o motivo do porque ele está sendo desejado por vários clubes, que querem tirar o meia de lá.
Esse meia armador é notável com a bola nos pés, possuidor de uma excelente visão de jogo e um controle de bola de quem teve a mesma escola futebolística de Lionel Messi, sem contar a velocidade, os chutes precisos e dribles simples e eficientes.

Ao longo do Brasileirão de 2011, sua habilidade com a bola ficou mais do que nítida, em um Cruzeiro apagado e fazendo uma campanha pífia, o meia se destacava, mantendo a regularidade e realizando jogadas e gols impressionantes, além de constantemente deixar seus companheiros na cara do gol.
Seu time terminou o campeonato em 16º, se salvando do rebaixamento no sufoco, por muito pouco, e ainda assim o argentino foi eleito o melhor meia do Brasileirão, recebendo a Bola de Prata novamente.
Na minha opinião, motivo mais do que suficiente para o meia almejar um clube em melhor situação para dar continuidade na sua carreira.

Passes, arrancadas, oportunismo e gols....precisa de mais?

Falando em almejar um clube melhor, não tenho a pretensão de desrespeitar o Cruzeiro, mas o nível do elenco sendo montado, mais as memórias recentes do ano que passou tornam o Cruzeiro uma má escolha para Montillo.
Assim sendo, quem leva? Os mais próximos de contratar o meia ainda são Corinthians e São Paulo, isso se não surgir alguma surpresa, ou um Sheik Árabe com seus barris de petróleo.

Dentro desse cenário, se eu fosse o Montillo, pesaria muito bem as opções. O Timão, com sua (enorme) torcida exigente, sua pressão vaga na Libertadores e um elenco praticamente fechado até o final do tão almejado torneio continental; ou o Tricolor Paulista, com uma das melhores estruturas do país, sem meias de armação, sem Libertadores em 2011 e sedento para encontrar um meia para ser 100% titular e que ensine ao Lucas a importância de olhar para o resto do time enquanto corre?

Eu escolheria a opção 2. Entraria em um elenco bem montado, e colocaria o sangue argentino para ferver em um time que está precisando voltar a jogar com garra, precisando reaprender o modo Lugano de jogar. Com amplas possibilidades de se tornar um ídolo em 1 ano!
Ao contrário de correr o risco de se tornar um vilão para a torcida corinthiana, por ter errado o pênalti decisivo na semifinal da Libertadores....exageros a parte, a pressão no Parque São Jorge vai ser grande.

Xiiii....já vi esse filme!
Mas a verdade é que não importa muito em qual clube Montillo estará no final da janela de contratações, este habilidoso meia armador será importante em qualquer clube que jogue. Pois, um jogador como ele, que dita o ritmo de jogo e ainda decide quando necessário, está em falta no mercado da bola.

Nos resta aguardar com qual camisa iremos ver Walter Montillo desfilar seu futebol daqui para frente.
Uma certeza eu tenho: todos iremos sorrir com os gols e jogadas desse craque!


Espero que ele, no mínimo, continue no Futebol Brasileiro, que só tem a ganhar com a sua presença!

Fonte dos dados: Wikipédia e ESPN.




3 comentários:

Marcelo Dichtchekenian disse...

De fato, ele joga muito e se encaixaria muito bem tanto no SP quanto no Corinthians. Pra mim a grande vantagem de ele ir pro SP é que lá ele seria o cara do time: titularzaço, craque, camisa 10 e intocável. No Corinthians nem tanto, a concorrência lá é maior, então se ele jogasse mal uns 3 jogos seguidos ele poderia ir pro banco. Mas o fato de o Corinthians jogar a Libertadores pesa bastante e do mesmo jeito que ele pode virar vilão, ele também pode se tornar herói.

7 de jan de 2012 02:27:00
Danielle Natalicio disse...

Lindo,

Adorei seu texto! Você escreve bem e de uma maneira simples de entender. Até eu que não entendendo nada de futebol estou me interessando pelo assunto.

Boa sorte meu amor,

Danielle Natalicio

9 de jan de 2012 09:09:00
Gustavo Biglia disse...

Eu não quero o Montillo!

Eu tenho o Valdívia e o agora o Daniel Carvalho.

Jogador bom, mas não impressiona ninguém!

19 de jan de 2012 17:05:00

Postar um comentário

Participe!
Deixe seu comentário!

Não serão permitidos comentários ofensivos, preconceituosos ou que contenham Spam e conteúdo impróprio.