quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Henry, o maior dos Gunners

Amigos sofredores,


O maior jogador da história do Arsenal está de volta. E com gol! Thierry Henry brilhou em sua "estreia" pelos Gunners ao marcar o único tento do jogo e garantir a vitória da equipe contra o Leeds pela FA Cup. O retorno, mesmo que breve - assinou um contrato de empréstimo de 2 meses junto ao New York Red Bulls - não representa apenas a contratação de um grandíssimo e experiente jogador, mas também um motivo de delírio da fanática torcida por ver a camisa vermelha ser vestida novamente pelo craque de um time que na temporada 2003/2004 não foi derrotado por ninguém.

Thierry Daniel Henry nasceu em 17 de agosto de 1977 na pequena cidade de Les Ulis, cerca de 30km a sudoeste de Paris. Quando criança, chamou atenção de todos pela sua qualidade inquestionável como jogador de futebol até que, aos 13 anos, foi jogar nas categorias de base do Monaco, onde ficou até 1998. Aliás, esse foi um ano extremamente marcante para Henry: recebeu sua primeira convocação para a seleção francesa; foi campeão do mundo pelos Bleus, sendo titular em seis das sete partidas na Copa do Mundo; e foi contratado pela Juventus, onde jogou apenas 16 partidas antes de ser vendido, em 1999, para o Arsenal, time onde faria história. Em 2007 transferiu-se para o Barcelona, onde ganhou importantes campeonatos e, em 2010, foi jogar a Major League Soccer pelo New York Red Bulls.

O desempenho de Henry pelos Gunners foi fora do normal. As oito temporadas em que o atacante esteve no elenco foram as mais vitoriosas da história do clube, com 11 títulos conquistados, além do vice campeonato da Champions League. Durante essa primeira passagem, ele se tornou o maior artilheiro da história do clube, com 226 gols em 370 jogos, tendo uma boa média de 0,61 gol por jogo. Dentro de campo, além de craque e artilheiro, Thierry era um líder. Conhecia como poucos os atalhos de Highbury e transmitia muita confiança para todos os seus companheiros. Sabe aquela sensação "posso tocar pra ele a hora que eu quiser que ele resolve"? Pois é. Esse era Thierry Henry no Arsenal. Não à toa foi conquistando a função de capitão da equipe com o passar dos anos. Mas não são apenas esses fatos que o credenciam como grande craque da história do time.

Na temporada 2003/2004, o clube conquistou algo praticamente inimaginável: venceu a Premier League de maneira invicta, com 26 vitórias e 12 empates. O time histórico tinha a seguinte escalação: Lehmann; Lauren, Campbell, Kolo Touré e Ashley Cole; Gilberto Silva, Patrick Vieira, Pires e Ljungberg; Bergkamp e Henry. O atual camisa 12 foi o melhor jogador dos Gunners no campeonato, além de ter sido artilheiro da competição com notórios 30 gols. As brilhantes atuações que Henry teve durante essa temporada foram fundamentais para manter o time jogando o melhor do futebol. Impossível esquecer seu hat-trick na virada por 4x2 contra o fortíssimo Liverpool, no Highbury. A taça foi confirmada após empate em 2x2 contra seu maior rival, o Tottenham, em pleno White Hart Lane.

Momento mais comum de Henry no Arsenal  

Aliás, esse jogo contra o Liverpool foi o grande jogo do Arsenal no campeonato por diferentes aspectos. A equipe tinha acabado de ser eliminada da FA Cup e da Champions League e, por isso, havia muita desconfiança nos lados de Highbury. O Arsenal tinha que provar que não era um cavalo paraguaio e seguiria firme e forte na disputa da Premier League. Entretanto, o jogo não começou bem para os Gunners: logo no início, Samy Hyypia abriu o placar para os Reds. Thierry Henry empatou, mas ainda no primeiro tempo, Michael Owen deixou novamente o Liverpool na frente. Intervalo de jogo: 2x1 para os visitantes e um Arsenal tenso vai ao vestiário ouvir o que o treinador Arsene Wenger tinha a dizer. Na volta para a segunda etapa, um time renovado, forte e que não perdoava: Pires prontamente empatou a partida e deixou o Arsenal mais vivo do que nunca. O terceiro tento foi uma pintura. Henry ignorou a presença de diversos adversários, entrou driblando na área e deu apenas um tapa na bola com a chapa do pé direito: 3x2 e o Highbury explode! Após alguns minutos, o francês, sempre ele, martelou o último prego do caixão do Liverpool e sacramentou a vitória: 4x2 histórico, o Arsenal dava adeus à desconfiança e andava muito mais forte em direção ao título.

Outros momentos de Henry com a camisa do Arsenal também foram marcantes. No último jogo que a equipe disputou em seu antigo estádio, o Highbury, a noite de 7 de maio de 2006 tinha que ser do atacante: hat-trick e vitória dos Gunners por 4x2 contra o Wigan Athletic. Além disso, em 2008 foi eleito pelos torcedores o maior craque da história do Arsenal, estando à frente de nomes como Tony Adams e David Seaman. Isso é muito grande.

Tão grande quanto a galeria de títulos que o francês tem na carreira: Copa do Mundo e Eurocopa pela seleção; dois campeonatos ingleses pelo Arsenal; um campeonato espanhol e uma Champions League pelo Barcelona. Isso para citar apenas a parcela mais importante das suas conquistas. Além disso, em 2003 e 2004 foi eleito o segundo melhor jogador do mundo pela Fifa. No primeiro ano foi derrotado por Zidane e no segundo por Ronaldinho Gaúcho. E pela seleção francesa, o atacante também é o recordista de gols, com 51 tentos em 117 jogos.



25 Gols de um Craque: Qual seu favorito?

Enfim, motivos não faltam para credenciar Henry como o maior jogador da história do Arsenal e um dos maiores da França. O retorno de um atleta deste tamanho será muito bom para o clube, que terá um grande jogador a mais no elenco. Sem dúvidas ele será fundamental nos jogos da Premier League e no mata-mata da Champions League, onde o adversário é o poderoso Milan. Já para a torcida, a volta do seu ídolo é motivo de euforia, de vestir novamente a camisa com as inscrições do seu nome e de lembranças da época em que nenhum inglês se atreveu a derrotar os Gunners.


Um abraço a todos!

5 comentários:

Tomaz Dyna disse...

Thierry Henry é um mito...o último jogo de Highbury foi inesquecível, lembro até hoje depois que ele marcou um dos ajoelhou no gramado e ergueu os braços. O time de 03/04, sem comentários, deram aula de futebol...

12 de jan de 2012 23:11:00
Danilo Picucci disse...

Realmente Dyna, um mito!

O cara fez uma história animal no Arsenal!
E aquele time de 03/04 era eficiente, cada chute era um gol...muito foda!

12 de jan de 2012 23:44:00
Marcelo Dichtchekenian disse...

Era absurdo né?

Eu acho que o Wenger tinha que dar uma moderada com esse negócio de fazer time só com jovens! É muito foda juntar só molecada e fazer um time daqueles. Grande parte do que motivou a venda do Henry pro Barça foi isso, que ele tava ficando velho. Não foi pela grana. £16M não é muito pelo jogador que ele era.

Mas esse empréstimo mostra que talvez a mentalidade esteja mudando. Ainda bem.

13 de jan de 2012 00:50:00
Gustavo Biglia disse...

Acho o Henry um dos melhores jogadores do futebol mundial. Ele enterrou o Brasil na Copa de 2006 e é um jogador com faro de gol!

Realmente o Arsenal acertou no empréstimo e, se eu fosse da diretoria, já pensaria em adquirir ele por definitivo!

19 de jan de 2012 17:02:00
Gunner's disse...

Thieery Henry... é o maior idolo do grandioso ARSENAL FC... uma pena que esse emprestimo dorou pouco...mas con certeza o Henry vai voltar contratado....mas hoje temos um novo idolo que esta alcançando o Henry... Robin Van Persie... merece tambem ser chamado de idolo...Thieery Henry e Van Persie ...incomparáveis.... go Gunners.

13 de mar de 2012 16:41:00

Postar um comentário

Participe!
Deixe seu comentário!

Não serão permitidos comentários ofensivos, preconceituosos ou que contenham Spam e conteúdo impróprio.