quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

E a Juve está de volta!

Amigos sofredores,


Se ao pensarem na Juventus, os nomes que vêm à mente ainda são os de Nedved, Trezeguet, Davids e companhia, sejam bem-vindos ao presente que tem tudo para ser tão vitorioso quanto esse recente passado. Os torcedores do clube com maior número de Scudettos têm, novamente, motivos de sobra para sorrir. O desempenho da Vecchia Signora na temporada 2011/2012 vem sendo excelente e, após 19 rodadas invictas, a equipe desponta como maior favorita ao título após anos sem uma conquista nacional.

A Juventus Football Club, fundada em 1º de novembro de 1897 na cidade de Turim, é um dos mais tradicionais e vitoriosos clubes de futebol na Itália. Sua vasta galeria de títulos é composta por dois Mundiais de Clubes, duas Champions League, três Ligas Europa, 27 Scudettos e nove Copas da Itália, entre outros títulos menores. Seus principais rivais são a Internazionale e o Torino, ambos fregueses da Juve.

Escudo da Vecchia Signora

Quem acompanhou o time no começo dos anos 2000 teve certeza de que essa galeria seria expandida de maneira incrível: bicampeão italiano (2001/2002 e 2002/2003), bicampeão da Supercopa da Itália, vice campeão da Champions League (2002/2003) e um time de fazer inveja a qualquer um, com jogadores como Nedved, Cannavaro, Davids, Trezeguet, Camoranesi e os remanescentes Buffon e Del Piero. Entretanto, o clube não manteve essa maré. Até pareceu que ia manter e que seria impossível parar a Juve, mas não foi isso que aconteceu.

Após mais um bicampeonato italiano, em 2004/2005 e 2005/2006, o pior aconteceu. Melhor dizendo, a própria Juventus fez o pior acontecer: o clube foi flagrado como principal articulador de um esquema envolvendo a escolha de árbitros para as partidas do campeonato e foi punido de maneira exemplar: perdeu os dois últimos títulos conquistados e, de sobra, foi obrigado a jogar a segunda divisão na temporada 2006/2007. Após essa decisão, o óbvio aconteceu: debandada de craques. Grandes nomes como Patrick Vieira, Emerson, Cannavaro, Zambrotta e Ibrahimovic deixaram a equipe. Sim, a Vecchia Signora estava no fundo do poço.

Mas a Juve é grande demais, ela tinha que se reerguer. Da mesma forma que importantes jogadores foram embora, os grandes ídolos ficaram: Trezeguet, Nedved, Buffon e o maior de todos os tempos do clube, Alessandro Del Piero, também maior artilheiro da história da Juventus. O resultado disso é evidente: campeão da segundona italiana e de volta à elite para a temporada 2007/2008. Entretanto, de lá para cá, nenhum troféu. Até agora.

Alessandro Del Piero, o Mr. Juventus

O time atual da Juventus vai revivendo, por enquanto, os sentimentos de vitórias e conquistas dos torcedores: após 19 rodadas, o time conquistou 10 vitórias e empatou 9 vezes, desempenho que o deixa na liderança do italiano e brigando de maneira forte pelo título. A escalação do time é a seguinte: Buffon; Chiellini, Barzagli, Bonucci e Lichtsteiner; Pirlo, Marchisio, Simone Pepe e Arturo Vidal; Vucinic e Matri. Há de se convir que esse time, pelo menos no papel, não chega nem perto daquela poderosa squadra do início dos anos 2000, mas até agora está honrando muito bem essa camisa, já que ainda não foi derrotado por ninguém no primeiro turno de um campeonato extremamente equilibrado e que possui bons times como Milan, Inter, Roma, Napoli, Udinese e Lazio.

Contribuindo para esse desempenho, a equipe possui alguns importantes pilares: Buffon, que está de volta àquela fase que o consagrou como melhor goleiro do mundo (em outras palavras, ele está pegando tudo); Chiellini, que faz ótimo campeonato jogando como lateral; a chegada de Pirlo, que deu mais qualidade ao meio de campo da equipe; Marchisio, um meia completo, que faz excelente temporada e é considerado por muitos o melhor jogador do campeonato até agora; Matri, que é o principal goleador dessa equipe; o forte banco de reservas, que possui bons nomes como De Ceglie, Elia, Quagliarella e Del Piero; e o novo estádio do time, o Juventus Stadium, um verdadeiro e incrível caldeirão que está sempre lotado de fanáticos torcedores.

Buffon pegando penalti cobrado por Totti no empate por 1x1 em Roma

Enfim, essa equipe atual da Juve pode não ser o timaço que encantou o mundo no início da década passada, mas faz muito bem seu papel e é, mais do que nunca, favorito ao scudetto e time a ser batido na Itália. O desafio agora é manter esse ritmo no segundo turno do campeonato, até porque o Milan está na cola e qualquer deslize é perigoso. Essa é a maneira de fazer com que todas as otimistas previsões se confirmem e a equipe volte a levantar a taça. Do jeito que a Juve sempre fez.


Um abraço a todos!

3 comentários:

Marcao disse...

Esse time ridiculo da Juve ter chance de ser campeão demonstra o nível atual da Serie A.

25 de jan de 2012 15:29:00
Marcelo Dichtchekenian disse...

É verdade, o nível dos times grandes da Serie A caiu, mas o nível dos médios subiu e eles estão jogando bem, tanto que esse é o Italiano mais disputado dos últimos anos.

Um exemplo que mostra a qualidade dos "médios" é o Napoli, que acabou de ganhar da Inter por 2x0 pela Copa da Itália e se classificou para as oitavas da Champions jogando no grupo da morte, junto com Bayern e eliminando o Manchester City e o Villareal.

27 de jan de 2012 03:30:00
Gustavo Biglia disse...

Timinho meia boca....se ganhar alguma coisa vai ficar só pela Itália.

9 de fev de 2012 14:51:00

Postar um comentário

Participe!
Deixe seu comentário!

Não serão permitidos comentários ofensivos, preconceituosos ou que contenham Spam e conteúdo impróprio.