quarta-feira, 21 de março de 2012

Ricardo Teixeira - O Poderoso Chefão do Futebol

Don Teixeira
Caro torcedor, se enquanto você ler esse texto vier na sua cabeça a famosa melodia de abertura da trilogia The Godfather, não se surpreenda!

Pois Teixeira é o Don Corleone brasileiro.
Sim, Don Corleone, o chefão da máfia italiana de Nova York na história criada para os cinemas, um mafioso de primeira.

Don Corleone saiu ileso de todos seus crimes e acabou morrendo de velhice cuidando de sua horta após passar o poder para seu filho, enquanto Don Teixeira foi forçados a se retirar de seus cargos após um imenso clamor popular e político, sem ter um filho para herdar seu império. Além é claro, da necessidade de se afastar da vida pública para preservar sua imagem, devido a quantidade de disputas judiciais que enfrenta.

Mas não se engane pensando que este senhor, está deprimido e em maus lençóis, a influência e a quantidade de dinheiro "arrecadada" enquanto esteve no poder é imensa e definitivamente não vai acabar tão cedo. Enquanto escrevo este post, Ricardo Teixeira está com sua família em Miami, em sua residência milionária comprada recentemente, e localizada em um condomínio de luxo.
A influência desse senhor é tão grande, que a repercussão de sua saída da CBF e do Comitê Executivo da FIFA girou o mundo todo. Tentem escrever seu nome no Google e verão que a quantidade de notícias internacionais chega a ser maior que as nacionais!

A vida do ex-presidente da CBF foi marcada de vitórias e controvérsias, desde que assumiu o comando da federação em 1989, Teixeira esteve a frente da Seleção Principal em 6 Copas do Mundo, ganhou 2 e foi Vice em 1, ainda ganhou 4 vezes a Copa América e 4 vezes a Copa das Confederações. Além disso, com as categorias de base , venceram: 3 Mundiais Sub20, 3 Mundiais Sub17, 7 Sul Americanos Sub20, 9 Sul Americanos Sub17 e 3 Sul Americanos Sub15.
Ricardo com suas maiores conquistas
Foram 23 anos vitoriosos para a nossa Seleção, muitos sorrisos foram proporcionados para todos os brasileiros, mas a cada título conquistado, Teixeira conseguia aparecer envolvido em alguma polêmica, desde acordos obscuros com patrocinadores, como o milionário contrato com a Nike, que acabou em uma CPI que não deu em nada, a utilização de recursos da CBF para fins pessoais e até o desvio de pagamentos de amistosos internacionais.

Ricardo Teixeira nunca foi bobo e sempre soube o que estava fazendo, afinal, teve um dos melhores professores do mundo no assunto. Ainda jovem casou-se com a filha de João Havelange, o comandante supremo do futebol brasileiros durante décadas e mais tarde Presidente da própria FIFA, não demorou muito após o casamento para Ricardo assumir o comando da CBF e assim, começar a transitar nos bastidores do mundo da bola, amealhando conhecimento, dinheiro, influência e consequentemente poder, muito poder.

Havelange gostava muito do genro e não poupou esforços para preparar o terreno para Ricardo, muitos dizem que se não tivesse se separado da filha de seu mentor, hoje estaria a frente da FIFA, posição que ele almejou durante bastante tempo, mas felizmente não teve força política para alcançar. Afinal, Joseph Blatter não chegou ao posto máximo do futebol a toa, ele sempre seguiu a risca um dos conselhos de Don Vito Corleone: "mantenha seus amigos perto, e seus inimigos mais perto ainda!".


Teixeira e Blatter "cagando montão" para você
Para o futebol brasileiro, foi uma vitória pequena, com efeitos práticos mínimos por enquanto, mas com a queda do maior dos Chefões, o resto dos Capos das federações estaduais não devem demorar muito a cair, alguns anos talvez, mas acredito que em breve nos veremos livres dessa corja de ladrões que assolam os gramados.

Teixeira e seus comparsas são a representação máxima da péssima gestão do futebol brasileiro, onde os interesses pessoais sempre estiveram acima dos interesses do futebol, dos clubes e dos torcedores. Não amigo fanático, não estou exagerando, o ex-presidente da CBF foi longe demais. Recentemente, quando questionado sobre as últimas acusações feitas contra sua pessoa, a resposta foi categórica: "estou cagando montão!".

Chegou o fim da linha para a famiglia Havelange-Teixeira, quem assume o comando agora é um dos seus Capos, José Maria Marín, que já foi até Governador de São Paulo e com certeza não é nenhuma flor que se cheire, mas dos males o menor.


Agora pelo menos podemos voltar a sonhar com tempos mais honestos e gloriosos!


2 comentários:

RodrigoR disse...

No Brasil politica, religião e futebol sempre tem corrupção, é incrivel. O dia em que conseguirmos curar essas feridas ai temos tudo pra evoluir e morar em um pais melhor.

Não acredito que vai ser agora, acho que esse cara ai deve estar controlando tudo ainda, indiretamente. Não sou nenhum grande conhecedor dessa parte politica mas creio eu que enquanto não se fazer uma grande limpa ele estará no comando ainda.

A quem diga que o Brasil (CBF) vendeu a copa de 98, com esse Ricardo teixeira ai não dúvido nada, mas ainda prefiro acreditar que naquele dia Zidane e Cia jogaram muito bem.

Abraço
Parabéns pelo Blog.

24 de mar de 2012 15:29:00
Danilo Picucci disse...

Infelizmente o mais provável é que ele ainda esteja por trás mesmo...mas não podemos deixar de acreditar que as coisas podem melhorar, ainda mais com eleições se aproximando e o Teixeira fora de cena.

Creio que o alto nível de futebol apresentado por vários dos integrantes daquela seleção francesa nos anos seguintes foi a maior prova de que eles foram melhores.

Valeu cara!

30 de mar de 2012 19:05:00

Postar um comentário

Participe!
Deixe seu comentário!

Não serão permitidos comentários ofensivos, preconceituosos ou que contenham Spam e conteúdo impróprio.